Mostrando postagens com marcador energia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador energia. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 11 de julho de 2016

PETRÓLEO

Vamos discutir o futuro energético mundial e o do petróleo em particular?

 

 Uma discussão bem interessante sobre esse importante tema para todos nós foi realizada no iFHC, atual fundação FHC, em São Paulo, em 12/04/2016, com a participação de David Zylbersztajn,
primeiro diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), ainda em 1998.

Vale a pena discutir, se informar e refletir sobre a atual crise do petróleo. Reflexões como do porquê - ou dos "porquês" - da queda de preço do barril de petróleo em relação aos áureos períodos de alta relação demanda/oferta e a influência do gás de xisto americano são pertinentes e atuais.

Essa palestra pode ser acessada, em vídeo, aqui.

Enjoy!

sexta-feira, 3 de abril de 2015

ARMAZENAMENTO DE ENERGIA

Estocagem de energia - de fontes renováveis –, até hoje, não armazenável, será possível algum dia? 

Uma substância muito comum em nosso dia a dia pode ser a chave para a criação de capacitores que armazenarão energia de fontes renováveis. A notícia é de 2013, mas, a discussão é extremamente pertinente para ser pautada hoje e no futuro, principalmente em nosso país onde se discute, como nunca, a questão da matriz energética

 

Sem entrar nos detalhes mais técnicos, capacitores são, basicamente, componentes eletrônicos capazes de armazenar energia – a rigor, armazenar cargas - num campo elétrico. Essa capacidade depende muito, dentre outras variáveis, de um material colocado entre duas placas metálicas polarizadas.


 Esse material, conhecido como dielétrico, deve ser o mais isolante possível para que a energia recebida através das placas seja armazenada com mais eficiência.


E como se mede essa “capacidade isolante”? Através de um valor numérico constante para cada material avaliado chamado constante dielétrica. Quanto maior for o seu valor, maior será a capacidade do capacitor de armazenar energia para uso posterior.


O material dielétrico faz com que o capacitor armazene energia mesmo na ausência de suprimento energético de fontes externas – no nosso caso de interesse, isso é particularmente importante quando uma fonte renovável não está produzindo energia. Aliás, essa é a grande desvantagem desse tipo de fonte energética: produção intermitente de energia sem capacidade, pelo menos até o momento, de armazenamento.


Já existem alguns projetos em andamento sobre esse assunto – como armazenar energia de fontes renováveis – que não se baseiam em capacitores. Eu mesmo escrevi, há algum tempo atrás, um artigo para um jornal, onde os pesquisadores se baseiam num processo químico denominado eletrólise.


Então por que, agora, surgiu a ideia de armazenar energia com capacitores, que surgiram, como conceito, em meados do século XVIII? Porque, até o momento, não se tinha descoberto um material dielétrico que satisfizesse três condições importantes para se armazenar energia em grandes quantidades:


  • Constante dielétrica elevada, ou seja, capacidade de armazenar grande quantidade de energia.
  • Uma perda dielétrica muito baixa, o que significa, praticamente, nenhum vazamento e desperdício de energia.
  • Capacidade de operar em uma ampla faixa de temperaturas.


Pesquisadores da Universidade Nacional da Austrália - ANU, na sigla em inglês - anunciaram - em julho de 2013 - ter desenvolvido um material dielétrico, que possui essas três características, à base de dióxido de titânio (TiO2). Achou estranho esse nome?


Olhe nos rótulos do seu creme dental; do seu sabão em pó para lavar roupas ou do seu bronzeador (protetor solar). Provavelmente, você verá esse nome escrito neles. Essa substância é muito utilizada em produtos do nosso dia a dia, principalmente, por suas propriedades branqueadoras – refletoras da luz branca.


Com mais desenvolvimento, esse material poderá ser usado nos chamados "supercapacitores", que armazenam enormes quantidades de energia, acabando com as limitações de armazenamento das energias renováveis e alavancando o seu crescimento de vez, para que, dessa forma, possa tornar-se, num futuro próximo, a principal fonte de energia do planeta.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

ENERGIAS RENOVÁVEIS, NÃO RENOVÁVEIS E A SUSTENTABILIDADE

PALESTRAS DISCUTEM AS FORMAS DE SE OBTER ENERGIA E SUAS RELAÇÕES COM A SUSTENTABILIDADE DO PLANETA

No formato de minicurso, 5 palestras ministradas pelo prof. Carlos Sanches (formado pela USP), procuram explicar de modo didático quais são as fontes de energia renováveis e as não renováveis atualmente mais utilizadas no mundo. 

casa com energia solar e eólicaA ideia é discutir suas vantagens e desvantagens, associando-as às questões ambientais - como, por exemplo, seus impactos no solo, na água, no ar - e também às questões sociais - como a remoção de famílias de suas regiões de origem, afetando suas culturas e modo de vida. 

O minicurso procura desenvolver o raciocínio crítico com relação ao planejamento energético de um país. A reflexão é estimulada para que se aprenda quais são as melhores fontes energéticas para determinadas regiões de acordo com suas disponibilidades climáticas, de matérias-primas, de terra entre outras.

O foco é a preparação para a vida, para a cidadania e, também, para exames como o ENEM e os vestibulares.
Fontes como o petróleo - incluindo a camada pré-sal -, carvão, biodiesel, nuclear, hidrelétrica, eólica, solar e outras mais serão discutidas em detalhes com informações recentes apresentadas de modo dinâmico e envolvente através de recursos como animações, imagens e infográficos.

Para maiores informações, acesse o folder do minicurso.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

No futuro, precisaremos de mais energia e mais eficiência também

 

eficiência energética
Sempre que o tema é "o futuro energético do planeta", pensamos em como produzir mais energia, de preferência de fontes limpas e renováveis. 

Pois bem, essa necessidade é real, mas não se deve pensar apenas na produção e sim na eficiência envolvida no processo. No artigo do link abaixo, esse tema é muito bem explorado com relação a um item que nos passa desapercebido e que nos dá a sensação de pouca influência no tema em questão: o "stand by" dos aparelhos do nosso cotidiano. 

A maioria das pessoas crê que esse item tem pouca ou nenhuma influência na economia de energia. 
Um estudo realizado pela AIE (Agencia Internacional de Energia) mostra que, em 2013, foram consumidos cerca de 400 TWh (Tera Watt hora) - uma unidade de energia; veja mais detalhes em  energia do dia a dia - só de "stand by".

Para se ter uma ideia do tamanho desse número, o consumo energético do Brasil, no mesmo período, foi cerca de 463,7 TWh, segundo dados da EPE - Empresa de Pesquisas Energéticas -, ou seja, o mundo está jogando fora com o "stand by" dos aparelhos domésticos o equivalente ao consumo energético de um país que é, no momento, a sétima economia mundial. Em valores monetários, esse desperdício chega a cifra de US$ 80 bi. Isso é, no mínimo, um absurdo!

Vejam a matéria do site Ambiente Energia clicando aqui. 

sábado, 15 de junho de 2013

ENERGIA EÓLICA

DIA MUNDIAL DO VENTO

 

energia eólica Hoje, 15 de junho, se comemora o Dia Mundial do Vento. Esse dia foi criado pelo Conselho Mundial de Energia Eólica - GWEC, sigla em inglês -, para impulsionar as atividades do setor.
Para se atualizar com relação a essa importante fonte renovável de energia, clique na imagem para baixar o mais recente relatório - 2012 - elaborado pelo GWEC.

Boa leitura!

domingo, 19 de maio de 2013

ENTREVISTA

MARINA SILVA: ENTREVISTA EXCLUSIVA PARA O BLOG FONTES DE ENERGIA                                                                                                                      


marina silvaMarina Silva, ex-senadora da República, ex-ministra do Meio Ambiente e atual fundadora da Rede Sustentabilidade, concedeu uma rápida entrevista ao blog FONTES DE ENERGIA no dia do lançamento do livro "A desgovernança mundial da sustentabilidade" do professor do departamento de economia da USP José Eli da Veiga na Sala Crisantempo em Pinheiros-SP.
Confira o vídeo onde Marina fala sobre o sistema elétrico brasileiro e o caso dos parques eólicos do nordeste que não estão ligados ao sistema por falta de linhas de transmissão. Marina também enfatiza a necessidade do Brasil investir mais em energia distribuída.
Em breve, segundo sua assessoria, Marina concederá uma entrevista mais longa sobre o tema para o blog. Aguardem!

video
 
 

quarta-feira, 24 de abril de 2013

TÉRMICAS

Matriz elétrica brasileira com mais térmicas?

Seria correto deduzir que, com as recentes declarações da presidente Dilma Rousseff - "quando pequenos reservatórios ou usinas a fio d'água são construídas, necessariamente há uma consequência: as usinas térmicas terão de entrar no sistema para fazer papel de reservatório" - , as térmicas passarão de reservas a titulares de nossa matriz elétrica?

 

A presidente Dilma e as térmicas

 Nossa matriz elétrica é, predominantemente, hídrica. Pois bem, do ponto de vista estratégico, ou alteramos essa predominância, investindo mais em outras formas de geração, ou a mantemos, garantindo a segurança do sistema, com a construção de novos reservatórios.


Mais térmicas na matriz elétrica significa mais poluição e danos ambientais ou, se preferirem, danos atmosféricos (climáticos).

Ora, se as restrições ambientais à construção de usinas com reservatórios (que podem "armazenar energia") têm como objetivo preservar o meio ambiente e manter as condições sociais locais intactas, não me parece sensato "substituir" esses futuros reservatórios, que não serão mais construídos, de acordo com essa postura atual, por térmicas mais caras e poluidoras.

Na prática é isso que está acontecendo: estamos trocando os reservatórios pelas térmicas. Ou seja, estamos alterando o formato do dano ambiental, que pode ser maior ou menor - isso é discutível, mas, sem dúvida, o meio ambiente continuará sofrendo e, ainda por cima, com uma conta mais cara a ser paga - não se sabe ao certo por quem.

Será que estamos no caminho certo? Será que não há uma saída mais sensata e adequada às conquistas ambientais do que esta que está sendo proposta?

By FONTES DE ENERGIA
  
 

quarta-feira, 27 de março de 2013

ENERGIA SOLAR EM CASA

Você quer produzir energia solar em sua casa?

 

Uma ótima e oportuna iniciativa do instituto Ideal em parceria com instituições alemãs traz a nós, consumidores, o Simulador Solar. Com essa ferramenta podemos estimar a viabilidade e entender os detalhes de um projeto de energia solar residencial. 
Clique nos links a seguir para simular o uso de energia solar em sua casa e aprender mais sobre ela em uma cartilha muito bem elaborada e de visual atraente.
Para acessar o simulador, clique aqui.
Para acessar a cartilha, clique aqui.

Divirta-se!  




sexta-feira, 22 de março de 2013

PARTICIPE!

VOCÊ TEM ALGUMA DÚVIDA A RESPEITO DAS FONTES ENERGÉTICAS DISPONÍVEIS NO MUNDO ATUALMENTE?

Envie a sua dúvida escrevendo no espaço reservado aos comentários desse post. Teremos o maior prazer em responder os seus questionamentos o mais rápido possível.

 BY FONTES DE ENERGIA 

quinta-feira, 7 de março de 2013

INFOGRÁFICOS

INFOGRÁFICOS INTERATIVOS DE ALTA QUALIDADE

 

Vale a pena conferir esse site com infográficos de alta qualidade, tanto no aspecto visual como em interessantes recursos interativos  para melhor compreensão dos temas abordados

 

O site Index Mundi disponibiliza uma série de infográficos interativos de temas relacionados a vários países do mundo. Basta escolher um tema e selecionar, através das caixas de seleção, o país sobre o qual deseja as informações.
Um recurso muito interessante é a possibilidade de, dentro de um mesmo tema, comparar os dados de vários países com gráficos lado a lado. Para fazer isso, basta clicar em várias caixas de seleção de vários países ao mesmo tempo. Os gráficos vão aparecendo a medida que se clica nas caixas de seleção.
Nós, do blog FONTES DE ENERGIA, selecionamos um link com o tema produção de eletricidade por fonte que se enquadra em nosso editorial, mas você pode navegar pelo site e informar-se de vários outros assuntos interessantes.
Divirta-se com as informações!

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

ENERGIA DO DIA A DIA: Você sabe quais são os aparelhos que mais consomem energia e dinheiro em sua casa? Preencha os espaços em branco "POTÊNCIA" e "TEMPO" da tabela do aplicativo abaixo e descubra.

CONSUMO DE ENEGIA DE APARELHOS DOMÉSTICOS
CONSUMO MENSAL DE ENERGIA ELÉTRICA DE ALGUNS APARELHOS
APARELHOS POTÊNCIA(W) TEMPO(horas) ENERGIA(kWh) VALOR(R$)
Aparelho de som
Ar condicionado
Chuveiro elétrico
Computador
Ferro de passar
Geladeira
Lâmpadas
Máquina de lavar roupas
Microondas
Secador de cabelos
Televisão
Ventilador




Calcular kWh e R$

    OBSERVAÇÕES


  • Não utilize vírgula! Em seu lugar, use o ponto (.)
    Mesmo o ponto deve ser evitado, exceto no campo R$/kWh. Esse campo se refere ao valor, em reais, de 1 kWh. Ele pode ser encontrado em sua conta de luz. Geralmente, esse número tem muitas casas depois da vírgula; coloque um valor com apenas duas casas depois da vírgula, ou melhor "ponto", para facilitar os cálculos e tornar os números mais "legíveis".
  • Os valores de potência, em Watts (W), podem ser encontrados no corpo dos aparelhos, geralmente, na parte de trás ou embaixo dos mesmos.
  • Os valores de tempo, em horas, se referem ao tempo de utilização dos aparelhos durante todo o mês em estudo.
  • Deixe em branco os espaços referentes aos aparelhos que você não utiliza.
  • Uma geladeira comum fica ligada, aproximadamente, 10 horas por dia.
  • Para efeito de cálculo, aparelhos do mesmo tipo e de mesma potência, devem ser tratados como se fossem o "mesmo aparelho"; aparelhos do mesmo tipo e de potências diferentes, devem ser tratados como "aparelhos diferentes".
    Por exemplo: lâmpadas do mesmo tipo com potências diferentes, devem ter seus consumos de energia calculados por grupos de mesma potência (um grupo de 60W, outro de 100W e assim por diante), ou seja, basta colocar o valor da potência de um grupo (por exemplo, 100W) e somar o tempo de utilização mensal de cada lâmpada desse grupo. Para cada valor total de energia e reais calculados, apenas um grupo pode ser incluído no cálculo.
  • Os valores calculados nesse aplicativo são, na verdade, uma estimativa de consumo que reflete o consumo real, pois, nem sempre, os aparelhos consomem de acordo com o valor de sua potência indicada.

POWERED BY FONTES DE ENERGIA

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

APAGÃO

A NOSSA DEPENDÊNCIA DAS FONTES NÃO RENOVÁVEIS

 Com a atual tecnologia disponível, quanto mais energia renovável fizer parte da matriz energética, maiores serão os riscos de apagão

 

apagãoQuanto mais energia renovável na matriz energética de um país, melhor será para todos, certo? Com a atual tecnologia, principalmente no que se refere ao armazenamento de energia, a resposta é "errado".

Explico: as fontes de energias renováveis são aquelas que dependem da natureza, das condições climáticas de cada região. Senão, vejamos: as hidrelétricas dependem das chuvas; as eólicas dependem dos ventos; as solares dependem do sol; e assim por diante.

Portanto, se tivessemos uma matriz energética com 100% de fontes renováveis, dependeríamos 100% das condições climáticas de cada região, certo? E isso é bom? Certamente que não. Estaríamos muito vulneráveis a apagões.

Então, por que defendemos tanto as fontes renováveis? Porque elas poluem menos; porém, para que fossem perfeitas, ou próximo disso, suas energias deveriam ser armazenadas em grandes quantidades para que pudessemos utilizá-las quando as condições climáticas fossem desfavoráveis.

Hoje, dentre todas as renováveis, só conseguimos fazer isso com as hidrelétricas com reservatórios, tão combatidas pelos ambientalistas. As usinas atuais, a fio d'água, não têm essa capacidade.

Há tecnologias sendo desenvolvidas para aumentar a capacidade de armazenamento de energia das fontes renováveis, mas, atualmente, elas ainda não existem e essas fontes continuam a depender, sim, da natureza. 

Veja a atual situação brasileira: estamos com as térmicas a combustíveis fósseis ligadas a pleno vapor para "substituir" as hidrelétricas que estão com seus reservatórios a 30% da capacidade.

E se não tivessemos essas térmicas, contando apenas com as renováveis? As térmicas são mais poluentes e mais caras, portanto não são a melhor opção tanto ambiental como econômica, mas são necessárias para evitarmos apagões.

O nosso problema, agora, é que, talvez, nem com as térmicas consigamos evitar apagões, por motivos diversos.

O que deve ficar claro é que essa situação atual nos mostra que, com a atual tecnologia disponível, a despeito de todas as outras questões envolvidas, não podemos depender de uma matriz energética majoritariamente renovável e que ainda precisaremos de uma parte dela não renovável para evitarmos os apagões. 
 

sábado, 8 de dezembro de 2012

A TERRA À NOITE

 A TERRA "MOSTRA SUAS LUZES" À NOITE

EARTH "SHOW YOUR LIGHTS" AT NIGHT

 Imagem e vídeo publicados pela NASA mostram nosso planeta à noite

Image and video published by NASA shows our planet at night


Na imagem e no vídeo (em inglês) a seguir, observe a relação entre energia elétrica e grau de desenvolvimento socioeconômico das várias regiões do globo terrestre.

In the image and video (in English) below, see the relationship between power and level of development of various regions of the globe.

Terra à noite




video

Fonte: NASA   Acesse:  http://www.nasa.gov
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Blog 8 - Cadastro de Blogs